ABC da diabetes: saiba mais sobre a doença
A diabetes mellitus, usualmente conhecida como diabetes, é uma doença crónica caracterizada por um aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue, situação denominada hiperglicemia.

 

A glicose é a principal fonte de energia do nosso organismo e tanto é obtida pela alimentação como produzida pelo fígado. A quantidade de glicose dissolvida no sangue denomina-se glicemia e é apresentada em mg/dL.

Para permitir a utilização da glicose pelas células, para a produção de energia necessária ao seu funcionamento e, assim, reduzir os níveis de glicose no sangue, o pâncreas produz insulina. Sem insulina, não existe capacidade por parte de células de utilizar o açúcar proveniente da alimentação ou produzido pelo fígado. Como consequência, ocorre um aumento dos níveis de glicose no sangue e, consequentemente, um estado de hiperglicemia.
A diabetes pode ser de diferentes tipos: tipo 1, tipo 2, gestacional ou secundária a outras patologias. A diabetes tipo 1 deve-se a uma produção deficiente, ou até mesmo nula, de insulina, enquanto que no tipo 2, embora o organismo consiga produzir insulina normalmente, não a consegue utilizar de forma eficiente. A diabetes gestacional é um tipo de diabetes que surge durante a gravidez e, geralmente, desaparece quando esta termina. É normalmente associada a antecedentes familiares e tem uma correlação com a idade da grávida (grávidas mais velhas apresentam maior tendência de desenvolver diabetes gestacional).

A prevenção, possível apenas para a diabetes tipo 2 e diabetes gestacional, passa pela adoção de um estilo de vida saudável, a qual resulta, essencialmente, da alimentação e prática regular de atividade física.

É fundamental:

> Optar por uma alimentação equilibrada, rica em cereais integrais, vegetais, frutas, peixe e carne, essencialmente branca – uma dieta rica em legumes contribui para uma absorção mais lenta do açúcar;

> Limitar a ingestão de alimentos processados, ricos em sal, gorduras saturadas e/ou açúcar;

> Evitar os refrigerantes, álcool, doces e snacks;

> Controlar o peso e o IMC (Índice de Massa Corporal) regularmente;

> Monitorizar a glicemia, principalmente se apresentar fatores de risco;

> Evitar fumar – o tabaco é um fator de risco para o desenvolvimento de várias patologias, entre elas, a diabetes tipo 2.

Embora não tenha cura, a diabetes deve ser gerida com medicamentos, de forma a controlar a glicemia e assim evitar complicações. É importante compreender que a terapêutica não dispensa todos os cuidados acima mencionados, principalmente no que diz respeito à alimentação).

Pela proximidade que tem com o utente, o farmacêutico desempenha um papel fulcral na prevenção, controlo e tratamento da diabetes. O utente com diabetes pode contar com a sua farmácia no controlo da doença através do acesso a informação sobre a correta utilização dos medicamentos, como ter um estilo de vida saudável, as complicações da doença, cuidados a ter e educação sobre a autovigilância. Pode ainda medir a sua glicemia e controlar o seu peso, com a ajuda do seu farmacêutico.