Conheça a Síndrome de Down
Todas as células do corpo humano têm um núcleo, onde o material genético é armazenado em genes. Os genes carregam os códigos responsáveis por todos os nossos traços e são agrupados em cromossomas.

 

Normalmente, o núcleo de cada célula contém 23 pares de cromossomas, metade dos quais são herdados de cada pai. A síndrome de Down (ou trissomia 21) ocorre quando uma pessoa tem uma cópia extra (completa ou parcial) do cromossoma 21.

Ocorre em cerca de 1 em 800 nascimentos, independentemente da raça, nível social, cultural e económico.

A causa é ainda desconhecida.

Não há pesquisas científicas decisivas que indiquem que a síndrome de Down seja causada por fatores ambientais ou pelo comportamento dos pais, antes ou durante a gravidez. A idade materna é o único fator que tem sido associado a um aumento da probabilidade de ter um bebé com síndrome de Down.

O material genético adicional altera o curso do desenvolvimento e é responsável pelas características associadas à síndrome de Down, tais como o baixo tónus muscular, baixa estatura, olhos inclinados para cima, orelhas pequenas e uma única prega profunda no centro da palma da mão. Contudo, cada pessoa com síndrome de Down é um indivíduo único, com personalidade e características próprias, e pode possuir estas particularidades em diferentes graus.

A síndrome de Down não é uma doença, mas sim uma condição da pessoa.

No entanto, as pessoas que têm esta síndrome podem estar sujeitas a uma maior incidência de algumas doenças, tais como: perda de audição, apneia obstrutiva do sono (condição em que a respiração para temporariamente durante o sono), infeções do ouvido, doenças oculares e doença cardíaca congénita. As crianças com síndrome de Down têm também um crescimento e desenvolvimento mais lento do que as restantes, sendo que os cuidadores deverão estar atentos, desde o nascimento da criança, e:

  • Assegurar o acompanhamento médico – A criança deve ser examinada por um pediatra com maior frequência do que outras crianças;
  • Procurar apoio para o desenvolvimento – A terapia da fala, terapia ocupacional e fisioterapia poderão dar um contributo valioso para o desenvolvimento de uma criança com Síndrome de Down, principalmente se forem iniciadas o mais precocemente possível.
  • Integrar grupos de apoio que poderão colocá-lo em contato com outras famílias que têm um filho com síndrome de Down.

Com apoio e acompanhamento adequados, as pessoas com síndrome de Down poderão viver uma vida ativa e bastante independente.