À prova de vírus
Nariz entupido, dor de garganta e febre – estas são algumas das realidades que podem entrar em sua casa com a descida da temperatura. São manifestações comuns da gripe ou da constipação, doenças que podem aparecer o ano todo, mas que tendem a ser mais frequentes no inverno.

 

Estas e muitas outras doenças frequentes nesta altura do ano são causadas por vírus e tendem a ser autolimitadas, isto é, a resolver-se por si, sem representar, por norma, perigo para a saúde. No entanto, podem causar algum desconforto. Assim, o mais sensato é procurar preveni-las. Mas como? Reforce, junto de toda a família, a importância de:

  1. Lavar frequentemente as mãos, com água e sabão, especialmente depois de espirrar ou tossir;
  2. Não utilizar o mesmo lenço de papel, duas vezes;
  3. Ao espirrar ou tossir, proteger o nariz e a boca, respetivamente, com um lenço de papel ou o antebraço – nunca com as mãos;
  4. Reduzir, na medida do possível, o contacto com outras pessoas, principalmente as que estejam, visivelmente, constipadas ou com gripe – para tal, é fundamental evitar recintos públicos fechados e/ou com grande concentração de pessoas. É igualmente importante evitar partilhar copos ou utensílios, como talheres, com pessoas que estejam doentes, mesmo que sejam familiares ou amigos;
  5. Manter um estilo de vida saudável – nesta altura do ano, é particularmente importante apostar numa alimentação equilibrada, associada à prática regular de atividade física, mas respeitando sempre a necessidade de repouso do seu corpo. Hábitos como o consumo de tabaco devem ser evitados todo o ano, mas em particular nestes meses, já que podem aumentar a probabilidade e a gravidade de doenças como a constipação.

Se, mesmo assim, algum elemento da família ficar doente, lembre-se:

  1. Evite a desidratação – assegure-se de que este ingere muitos líquidos;
  2. Procure ter sempre em sua casa soluções para os desconfortos típicos desta altura do ano – construa, com o auxílio do seu farmacêutico, um “armário de inverno”, com medicamentos e produtos que ajudem a gerir manifestações como a febre e as dores de cabeça e/ou musculares;
  3. Se tiver dúvidas, não hesite em procurar um profissional de saúde, como o seu farmacêutico ou médico.