Dor de dentes – evite-a!
O impacto da saúde oral (da boca) na qualidade de vida pode nem sempre ser evidente, mas é real – a boca tem um papel central em atividades triviais, como comer ou falar. Aliás, provavelmente, muitos de nós, tomamos como garantida a saúde oral, só recordando a sua fragilidade quando surgem manifestações como a dor.

 

Dentro das várias dores existentes, associadas à saúde oral, é de destacar a dor de dentes – 6 em cada 10 pessoas referem já ter tido este sintoma. A dor de dentes é uma das manifestações da cárie dentária, mas também pode ser causada, por exemplo, por:

  • Erupção (nascimento) dos dentes do siso;
  • Inflamação ou infeção na raiz de um dente;
  • Fratura de um dente;
  • Utilização de aparelho ortodôntico (aparelho dentário).

A boa notícia é que existem várias formas de assegurar a sua saúde oral e, consequentemente, prevenir as dores de dentes – assim, seja qual for a sua origem:

  • Assegure visitas regulares ao médico dentista;
  • Escove os dentes durante dois minutos, pelo menos, duas vezes por dia (uma delas antes de se deitar). Para o efeito, utilize uma pasta de dentes com fluor (idealmente, 1000-1500 ppm – esta informação encontra-se na embalagem da pasta de dentes. Caso não a encontre, não hesite em pedir ajuda a um profissional de saúde);
  • Complemente a escovagem dos dentes com a utilização de fio ou fita dentária;
  • Aposte numa alimentação saudável – limite o consumo de alimentos ricos em açúcar;
  • Evite o consumo de bebidas alcoólicas e de tabaco.

A par destas medidas, em caso de dor de dentes, existem ainda outros cuidados que poderão fazer a diferença para o alívio da mesma:

  • Opte por refeições à base de alimentos suaves, como iogurtes e ovos mexidos – evite alimentos difíceis de mastigar. Evite, igualmente, alimentos demasiado frios, ou demasiado quentes;
  • Gargareje com água com sal (esta medida não deverá ser efetuada por crianças). Na sua farmácia, poderá ainda encontrar cuidados específicos para o alívio da dor, como colutórios (elixires) e sprays;
  • Aconselhe-se com o seu farmacêutico sobre a toma de medicamentos para a dor.

Não hesite em procurar um médico dentista se, mesmo com estes cuidados, a dor de dentes:

  • Durar mais de dois dias;
  • Estiver associada a alguma das seguintes manifestações:

– Febre;

– Dor ao mastigar;

– Gengivas vermelhas;

– Sabor desagradável na boca;

– Inchaço ao nível do maxilar e/ou das bochechas.