O meu filho tem diabetes, e agora?
O diagnóstico de diabetes tipo 1, num filho, pode ser, numa fase inicial, uma notícia difícil de aceitar. Afinal é uma nova realidade que requer alguns cuidados extra e de forma mais constante.

 

As crianças e jovens podem ter mais dificuldade em aceitar e viver com a doença, particularmente quando são crianças mais novas que não entendem a importância dos medicamentos e testes sanguíneos frequentes, acabando, por vezes, por ficarem assustadas, zangadas e pouco cooperativas.

Dependendo da idade, a criança poderá precisar de mais ou menos acompanhamento. Numa situação inicial, pode prestar mais ajuda, mas, à medida que cresce deve incentivá-la a ter um papel mais ativo no controlo da sua doença.

Um dos grandes desafios dos pais prende-se com o facto de as crianças e adolescentes pensarem de acordo com o presente e, como tal, não considerem as complicações a longo prazo que a diabetes pode causar. É importante alertá-los, de forma simples, que a doença pode ter complicações caso não seja convenientemente controlada.

É importante que percebam ainda que, à semelhança deles, todos podemos desenvolver doenças cardíacas ou problemas de visão (complicações comuns da diabetes) quando envelhecemos e, como tal é essencial manter hábitos de vida saudáveis. Assim:

Privilegie uma alimentação saudável e equilibrada, com especial atenção às quantidades de açúcar e amido ingeridos (alimentos com amido: por exemplo, arroz, batata e feijão); eduque o seu filho sobre substituições alimentares que pode fazer (por exemplo, arroz integral em vez de arroz branco) e envolva-o na escolha dos alimentos;

Incentive a prática de atividade física, com regularidade: contribui para uma diminuição dos níveis de açúcar no sangue e pode ajudar a evitar complicações no futuro (doenças cardiovasculares);

Eduque os seus filhos sobre a autogestão e monitorização da doença e os possíveis sinais de complicações: é importante a criança saber que rotinas deve manter, quando deve fazer a medição dos níveis de açúcar e a administração do medicamento. Compreender a doença e o funcionamento do organismo é meio caminho andado para um melhor controlo.

É essencial transmitir a mensagem de que, embora seja uma doença que requeira cuidados extra, é possível ter uma vida normal, incentivando a educação e a integração da criança no cuidado da sua saúde.

Na sua Farmácia poderá encontrar todo o apoio e orientação para fazer melhor ajudar o seu filho a viver esta fase.