O que é a esquizofrenia?
A esquizofrenia é uma doença crónica psiquiátrica (que afeta o cérebro) caracterizada pela perda de contacto com a realidade.

 

Ocorre tanto em homens como em mulheres e costuma manifestar-se entre os 15 e os 30 anos de idade, alterando no doente a sua forma de pensar, os seus comportamentos e os seus relacionamentos sociais, familiares e profissionais.

Desconhece-se ainda a causa exata da esquizofrenia, mas suspeita-se que a genética e o ambiente possam estar na sua origem.

No geral, o doente perde a capacidade de perceber o que é ou não real (psicose), mas os sintomas variam de doente para doente:

  • Alucinações, nas quais o doente tem sensações irreais – vê imagens, ouve sons e sente objetos que não são reais;
  • Delírios, nos quais o doente acredita em falsas ideias que cria na sua cabeça;
  • Pensamentos e comportamentos estranhos e inadequados;
  • Incapacidade de falar;
  • Discurso e pensamento confuso;
  • Reduzida demonstração de emoções;
  • Comprometimento cognitivo, no qual o doente tem dificuldade em se concentrar, relembrar, organizar, planear e resolver problemas;
  • Anedonia; na qual o doente perde a capacidade de sentir prazer.

Para ser feito o diagnóstico adequado, o médico faz uma avaliação médica dos sintomas e avalia se na família do doente existem outros casos de esquizofrenia, pedindo também alguns exames que permitam excluir outras doenças que possam provocar os mesmos sintomas.

Como ainda não existe cura para esta doença, o tratamento da esquizofrenia incide na eliminação dos sintomas, através de medicação e de psicoterapia.

Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, melhor para o doente e para os que o rodeiam, mas atenção:

  • deve ser o médico a receitar os medicamentos mais adequados para cada doente;
  • não se pode interromper ou parar o tratamento sem indicação médica.

Se tem, ou conhece alguém que tenha esquizofrenia, dirija-se à sua Farmácia, lá encontra profissionais de saúde disponíveis para esclarecer as suas dúvidas.