O que é a perturbação obsessivo-compulsiva?
Lavar as mãos várias vezes por dia, ter os objetos rigorosamente alinhados na secretária e verificar repetidamente se as portas e janelas de casa estão fechadas - estes são alguns dos hábitos de quem tem Perturbação Obsessivo-Compulsiva (POC).

 

A POC é uma doença psiquiátrica (mental) que pode surgir em crianças e adultos e que se caracteriza por um conjunto de pensamentos e medos (obsessões), associados ou não a determinados comportamentos (compulsões), como os referidos inicialmente.

As obsessões podem incluir pensamentos incomuns e persistentes, como a ideia de estar contaminado por microrganismos (germes) ou ter medo de perder o controlo e inquietação quando os objetos à volta não estão perfeitamente em ordem, equilibrados ou simétricos.

As compulsões, por sua vez, podem incluir comportamentos como verificar repetidamente se as luzes de casa estão apagadas, se as portas e janelas estão fechadas ou uma necessidade permanente (contínua) de limpar a casa, lavar as mãos e/ou organizar objetos.

Por norma, a POC caracteriza-se pela manifestação de obsessões e compulsões ao mesmo tempo. Porém, também é possível que se verifiquem apenas manifestações obsessivas ou apenas manifestações compulsivas.

Admite-se que possa haver alguns fatores associados ao aparecimento da doença, tais como:

  • Fatores genéticos: filhos ou pais de pessoas com POC aparentam ter uma maior probabilidade de desenvolver a doença;
  • História pessoal: traumas durante a infância (originados, por exemplo, por abuso físico ou sexual) podem aumentar o risco de POC.

Muitas pessoas experimentam, em alguma fase da sua vida, pensamentos de tipo obsessivo e/ou manifestam comportamentos compulsivos. No entanto, no caso da POC, estas manifestações são intensas, permanentes e desagradáveis, podendo interferir com a qualidade de vida da pessoa e dos que lhe são mais próximos.

É por isso que o diagnóstico da POC é tão importante. Assim, se se identificou com os sinais e sintomas descritos, não hesite em falar com o seu médico.

Após o diagnóstico, a POC pode ser gerida através da toma de medicamentos (terapia farmacológica), isolada ou em conjunto com acompanhamento profissional regular (psicoterapia). Ambos têm como principal objetivo reduzir os sinais e sintomas associados à POC, proporcionando uma recuperação gradual da qualidade de vida.