A beleza do branco
Cabelos brancos não são necessariamente sinónimo de velhice. São sim, sinal de envelhecimento. Parece contraditório, mas não é.

 

Há jovens com cabelos brancos e idosos em que o branco apenas acinzenta a cabeleireira, mas, em ambos os casos, o embranquecer dos cabelos corresponde ao passar dos tempos, ao ritmo de cada pessoa, é claro. Em regra, este fenómeno começa na terceira década de vida, generalizando-se para grande parte dos indíviduos, por volta dos 60 anos.

 

Os cabelos começam a embranquecer devido a uma diminuição na produção de melanina, o pigmento natural presente, sob a forma de grânulos, no tecido capilar. Progessivamente os cabelos mudam de cor:

Primeiro, apenas algumas fibras, os famosos fios de prata que até embelezam o cabelo;

Depois, são as raízes que denunciam o branco, que acaba por conquistar a maioria ou totalidade da cabeleireira.

 

Não adianta arrancar os fios brancos mal são descobertos: o novo cabelo volta a crescer branco, pois o que acontece é que, no folículo que lhe dá origem, já não existe melanina, pelo que a cor é inevitavelmente…branca. A não ser que o puxão danifique o folículo, nesse caso, não nascerá qualquer novo cabelo.

 

É certo que os cabelos brancos denunciam o passar dos tempos, mas não constituem uma fatalidade: ninguém fica velho, nem de corpo nem de espírito, só porque o rosto é emoldurado de branco. Por isso, os cabelos não devem ser negligenciados só porque a cor se vai alterando.

 

É possível e importante continuar a tratar do seu cabelo, alterando apenas ligeiramente algumas rotinas:

Proteger a cor branca: os cabelos grisalhos ou brancos tendem a ficar amarelados, como se de palha fossem, o que lhes confere um aspeto mortiço. Oxidam-se facilmente, muito por via da poluição, do tabaco e do sol, parecendo até maltratados. É, no entanto, possível contrariar esta tendência, recorrendo a champôs, disponíveis na farmácia, que neutralizam o amarelecimento, dando um aspeto mais brilhante aos cabelos.

Fortalecer o cabelo: Se os cabelos são fracos e se quebram facilmente, existem, na farmácia, gamas de cuidados anti-idade, reestruturantes, à base de vitamina E, antioxidante e de aminoácidos: os cabelos devem ser lavados suavemente, com água morna, para não fragilizar ainda mais as fibras e os “brushings” devem ser evitados.

Hidratar o cabelo: Para cabelos demasiado secos, o mais indicado é um champô rico em proteínas vegetais: o couro cabeludo deve ser bem massajado para se obter uma espuma abundante e o produto deve atuar alguns minutos antes de o cabelo ser enxaguado.

Cuidados específicos: Os cabelos brancos também podem ser oleosos e apresentar caspa, pelo que devem ser tratados com produtos específicos: devem ser lavados com gentileza para não estimular as glândulas sebáceas e depois penteados com um pente de dentes largos.

 

O penteado complementa estes cuidados: é claro que tudo depende do rosto e do estilo de cada pessoa, mas o corte pode contribuir muito para contrariar a ideia de que os cabelos brancos correspondem a uma figura idosa. Bem cuidado, o branco pode significar uma cabeleira soberbamente natural. Mesmo que as rugas comecem a desenhar o rosto, mesmo que o calendário seja pouco generoso… a verdade é que há um charme por descobrir nos cabelos brancos.