Antidepressivos: Pontos a reter
A escolha de um antidepressivo deve ser feita, pelo médico, em função do quadro depressivo e da condição clínica do doente, entrando em linha de conta tanto a duração, como os sintomas da depressão.

Existem no entanto, algumas noções que são importante, quando começa o tratamento de uma depressão:

a) É importante informar o médico sobre a toma de outros medicamentos, de modo a prevenir eventuais iterações;

b) É também fundamental, no caso das mulheres, informar se está grávida ou ou pretende engravidar e se está a amamentar, porque há antidepressivos de utilização mais segura nestas situações;

c) O tratamento de uma depressão é sempre prolongado, podendo, no caso de um primeiro episódio, estender-se por seis meses. Se a depressão voltar pode ser necessário mais tempo;

d) A ação dos antidepressivos pode demorar: nas primeiras semanas, pode não se sentir qualquer evolução, mas não se deve suspender a toma – são precisas três a quatro semanas, em média, para os doentes começarem a sentir efeitov

e) A dose vai sendo ajustada, até o médico considerar que o doente está estabilizado. Quando o tratamento está completo, e o doente não tem sintomas, inicia-se uma redução progressiva da dose, aquilo que é designado como desmame.

f) É natural que nessa altura o doente já se sinta bem, mas importa manter o tratamento até ao fim, sob pena de haver uma recaída.

Leia também: “Os antidepressivos têm efeitos secundários?