Como funcionam os anti-inflamatórios?
Os anti-inflamatórios são considerados os medicamentos mais usados em todo o mundo, sendo utilizados frequentemente no tratamento de situações comuns, como as dores menstruais, de cabeça ou musculares; febre; etc

 

De todos os medicamentos anti-inflamatórios existentes, os mais utilizados e conhecidos são os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como é o caso do ibuprofeno, do ácido acetilsalicílico e do diclofenac, tendo uma ação anti-inflamatória, antipirética e/ou analgésica, ou seja, ajudam a reduzir a inflamação, a febre e as dores. Mas como é que os AINEs conseguem fazer isto?

De uma forma simples, a inflamação ocorre quando existe um aumento da produção de uma substância, a prostaglandina, a qual é segregada pela ação de uma enzima chamada cicloxigenase (Cox). Ao serem tomados AINEs, estes irão impedir a ação da Cox, reduzindo assim a produção de prostaglandinas – o que fará com que a inflamação, a febre e/ou a dor diminua.

Mas atenção, só devemos recorrer a anti-inflamatórios com aconselhamento médico ou farmacêutico.

Como qualquer medicamento, a toma de anti-inflamatórios também envolve alguns riscos se não for feita adequadamente, podendo dar origem a interações com outros medicamentos – aumentando ou reduzindo a sua ação – ou efeitos adversos – náuseas, vómitos, dispepsia (indigestão), etc.

Para além disso, certos grupos de pessoas – grupos de risco – não devem mesmo tomar AINEs sem indicação médica:

  • Pessoas que desenvolveram hipersensibilidade a estes medicamentos em tomas anteriores;
  • Doentes com insuficiência renal grave;
  • Doentes com insuficiência hepática grave;
  • Doentes com insuficiência cardíaca grave;
  • Doentes com alterações na coagulação do sangue;
  • Doentes com antecedentes de asma, rinite, urticária, broncospasmo ou hemorragia gastrintestinal associados ao uso de AINEs;
  • Grávidas.

Em relação às crianças, o aconselhamento com um profissional de saúde também é essencial: por exemplo o ácido acetilsalicílico não é aconselhado em crianças até aos 12 anos de idade, uma vez que pode dar origem à Síndrome de Reye, uma situação grave que se manifesta em algumas crianças ao usar o ácido acetilsalicílico para tratar sintomas associados a uma infeção viral, e que afeta o fígado e o cérebro. Assim, para as crianças até aos 12 anos, a não ser em casos particulares e com indicação expressa do médico, deve optar-se pelo paracetamol no caso de febre e dores.

Se sente dores ou febre, dirija-se à sua farmácia, onde encontrará profissionais de saúde capazes de aconselhar um medicamento que ajude a aliviar as suas dores e a diminuir a febre, e reencaminhá-lo para o médico, se necessário. Caso faça parte de um grupo de risco, peça também ajuda ao seu farmacêutico, este irá fazer um aconselhamento personalizado e adequando ao seu caso específico, ou irá encaminhá-lo para o médico, caso haja essa necessidade.