Diabetes: controlar o açúcar no sangue
Conheça os tratamentos para reduzir a glicemia.   

A diabetes é uma doença crónica caracterizada por um aumento excessivo dos níveis de açúcar no sangue, que dá pelo nome de hiperglicemia. O objetivo do tratamento é baixar a glicemia para os valores recomendados.

A glucose, um açúcar fornecido pela alimentação mas também produzido pelo fígado, é a principal fonte de energia do nosso organismo. No entanto, para que este açúcar possa ser utilizado pelas nossas células para produção de energia, é necessário insulina, uma hormona produzida pelo pâncreas.

A hiperglicemia que caracteriza a diabetes surge quando há produção deficiente ou nula de insulina — diabetes tipo 1 — ou quando o nosso organismo não consegue utilizar a insulina de forma eficiente (por se ter tornado resistente à sua ação e/ou por defeitos na sua produção) — diabetes tipo 2.

Existem três tipos principais de medicamentos para a diabetes.

  1. Os antidiabéticos orais, em comprimidos, são utilizados apenas no tratamento da diabetes tipo 2. Em geral, atuam estimulando a produção de insulina ou aumentando a sensibilidade das células à mesma, melhorando a sua ação ou reduzindo a absorção dos açúcares. Existem vários antidiabéticos orais, com diferentes ações, que se tomam isoladamente ou em conjunto;
  2. A insulina, em injeções, é o único medicamento que trata a diabetes tipo 1. Contudo, pode também ser utilizada no tratamento da diabetes tipo 2, caso a opção do médico seja nesse sentido, devido à evolução da doença; quando os antidiabéticos orais não permitem um controlo eficaz dos níveis de açúcar no sangue; quando ocorrem complicações derivadas de outra doença; durante gravidez (já que a insulina é mais segura e produz menos efeitos secundários para a mãe e bebé) ou em outras situações específicas (ex. cirurgia);
  3. Os novos antidiabéticos, o liraglutido e o exenatido, por exemplo, apresentam um mecanismo de ação diferente dos antidiabéticos orais e são administrados sob a forma de injeção. Podem ser combinados com os outros medicamentos usados na diabetes, caso seja essa a opção do médico.

Os medicamentos existentes não curam a diabetes, mas permitem controlar a doença e reduzir o risco de complicações. Se parar de os tomar, a diabetes pode ficar descontrolada. Por outro lado, é muito importante ter uma alimentação equilibrada, praticar atividade física regularmente e tomar os medicamos certos na hora certa, com rigor e como indicado pelo seu médico.

Também o farmacêutico, enquanto profissional do medicamento, está apto a esclarecer as suas dúvidas.