Incontinência urinária – evitar o desconforto
A incontinência urinária, definida como a perda involuntária de urina, é um problema de saúde comum que gera desconforto, aliado à perda de urina e à dificuldade em procurar ajuda.

Está associada a um enfraquecimento dos músculos do pavimento pélvico – os músculos que controlam a bexiga – e/ou hiperatividade não controlada da bexiga, dependendo da causa e do grupo etário. Para muitas pessoas basta um gesto tão simples como rir ou tossir para que a urina se escape. Noutras, emerge uma vontade tão urgente de urinar que não têm tempo de chegar à casa de banho.

A incontinência afeta mais as mulheres, sobretudo durante e após a gravidez e na menopausa. Nas mulheres a incontinência está associada à debilidade dos músculos do pavimento pélvico, e consequente perda de flexibilidade, enquanto que nos homens a causa mais frequente é o aumento do tamanho da próstata (o qual impede a passagem de urina durante a micção, incapacitando o esvaziamento total da bexiga). Nelas e neles, é mais comum à medida que os anos avançam.

A incontinência pode também resultar do aumento da pressão dos músculos pélvicos e abdominais na obesidade.

A boa notícia é que existem soluções muito eficazes que permitem minimizar as consequências da perda de urina. É o caso dos produtos absorventes, que ajudam a recuperar o bem-estar físico e psicológico, mantendo uma vida ativa e saudável. Na Farmácia, pode obter aconselhamento sobre reeducação pélvica – técnicas que permitem o fortalecimento eficaz dos músculos do pavimento pélvico, como os exercícios de Kegel – e sobre os diversos produtos existentes no mercado para a incontinência urinária. Existe também tratamento farmacológico e cirúrgico, devendo estes ser aconselhados pelo seu médico. A incontinência é, na maioria dos casos, curável e de fácil tratamento, desde que diagnosticada numa fase inicial. Não hesite: se tem suspeitas de incontinência, informe-se com o seu médico e procure conselho na sua Farmácia.