Medicamentos com história: Viagra
Existem medicamentos cuja sua descoberta foi um autêntico acaso, um deles é o VIAGRA®. Com o nome químico sildenafil, é provavelmente o medicamento mais utilizado para a disfunção erétil, mas curiosamente a sua descoberta foi completamente acidental.

 

No final da década de 80, o laboratório Pfizer começou a estudar um novo medicamento cujo propósito original seria relaxar os vasos sanguíneos que rodeiam o coração de forma a melhorar o fluxo sanguíneo em algumas doenças como a hipertensão pulmonar e a angina de peito (doenças cardiovasculares). Contudo, durante os ensaios clínicos, os vários voluntários do sexo masculino, que se submeteram ao tratamento, relataram para um efeito secundário bastante comum, a indução da ereção após a toma do medicamento.

A explicação encontrada demostrava que o Sildenafil, substância ativa primeiramente comercializada como VIAGRA®, tinha propriedades vasodilatadoras e de relaxamento da musculatura lisa, que permitiam a irrigação sanguínea do órgão sexual masculino.

O laboratório tirou proveito desta descoberta, iniciando de imediato estudos neste campo. Durante os ensaios clínicos foram claras as melhorias para a maioria dos homens envolvidos. O medicamento foi aprovado em 27 de março de 1998, tornando-se o primeiro comprimido para o tratamento da disfunção erétil nos Estados Unidos. A sua comercialização ocorreu um ano depois sob o nome comercial de VIAGRA® – o famoso “comprimido azul”, sendo sempre necessária a avaliação de cada situação por um médico, e uma receita médica para o poder adquirir. Desde aí surgiram numerosos medicamentos de composição química semelhante, e não só, com resultados no tratamento desta situação que aflige bastantes homens a nível mundial.