Micoses do pé – Quando os fungos atacam
Os ambientes húmidos são propícios ao desenvolvimento de infeções causadas por fungos, de elevado grau de contágio. Redobre os cuidados, sempre que chega o tempo da piscina e da praia.

 

As micoses são infeções que atingem a pele, unhas e cabelo, causadas por fungos: microrganismos que se alimentam de células e que sobrevivem em ambientes fechados, quentes e húmidos. As micoses do pé mais comuns são o pé-de-atleta e as micoses das unhas (onicomicoses). Ambas partilham os mesmos fatores de risco:

– Andar descalço em espaços públicos e húmidos, como balneários e piscinas;

– Partilhar as toalhas com que se limpam os pés;

– Má higiene dos pés e do calçado (meias e sapatos, sobretudo ténis);

– Calçado que não permita ventilação;

– Não secar adequadamente os pés, promovendo deste modo um ambiente húmido;

– Diabetes, alterações da circulação e alterações do sistema imunitário.

 

Para atletas e não só

O pé-de-atleta é, possivelmente, a micose mais conhecida e deve o seu nome por ser mais comum entre desportistas, pelo uso prolongado de calçado favorável à acumulação de humidade e porque frequentam duches públicos nos balneários. Contudo, qualquer pessoa pode desenvolver este tipo de micose.

Embora a infeção se possa localizar em qualquer zona do pé, é mais frequente nas pregas entre os dedos, sobretudo nos últimos dois. Causa comichão, descamação, maceração e fissuras na pele, acompanhadas de um odor desagradável.

 

Unhas Vulneráveis

As unhas sofrem também com as micoses: onicomicoses é como se chamam as infeções fúngicas nas unhas, tanto das mãos como dos pés. Contudo, são mais frequentes nas unhas dos pés.

A presença da infeção é denunciada primeiro por um pequeno ponto branco ou amarelo por baixo da unha. À medida que os fungos avançam, a unha fica descolorada, baça, mais espessa, quebradiça e deformada, podendo haver dor. Em certos casos, a unha pode cair.

 

Como tratar estes problemas?

Eliminar por completo os fungos que se instalam nos pés e nas unhas é difícil, pelo que o tratamento é geralmente prolongado.

O tratamento depende do local, da infeção em si, do estado de saúde e da gravidade da infeção, podendo ser usados medicamentos antifúngicos de aplicação na pele (cremes, pomadas, tinturas, soluções, vernizes ou pós de aplicação localizada) e , quando necessário, medicamentos de toma oral. O importante é iniciar o tratamento o mais cedo possível, de modo a evitar que a micose se agrave.

No caso particular das onicomicoses, o objetivo é o crescimento de uma unha livre de infeção, que substitui lentamente a unha doente. O tratamento com medicamentos antifúngicos tópicos tem normalmente uma duração mínima de 6 meses nas unhas das mãos e de 9 meses nas unhas dos pés. Quando é necessário recorrer a medicamentos antifúngicos de toma oral, o tratamento tem normalmente uma duração de seis a doze semanas. No entanto, em algumas situações podem ser necessários vários meses para tratar a infeção. Ainda assim é possível que a micose volte, se a unha continuar exposta a um ambiente de risco.