Nariz desimpedido
Respire sem complicações, livre da desconfortável sensação de estar “entupido”. Para “torcer o nariz” à congestão nasal, basta o tratamento certo.

 

Sente dor de cabeça e sensação de rosto congestionado?

Tem dificuldade em respirar pelo nariz e até atos tão simples como falar, comer e beber se tornam penosos?

Saiba que a incómoda sensação de congestão nasal, que resulta de uma inflamação da mucosa que reveste o interior do nariz, devido à dilatação dos vasos sanguíneos, pode ser combatida.

Assoar o nariz com maior frequência, fazer inalações de vapor de água – na hora do banho, por exemplo, ou colocando água bem quente no lavatório e respirando o vapor que esta emite –, aplicar soro fisiológico ou sprays de água do mar, utilizar um aspirador nasal, no caso dos bebés, e ingerir mais líquidos, dando prioridade à água e evitando bebidas com cafeína, pois estas tendem a secar a mucosa nasal, são algumas das medidas mais eficazes para “desentupir” o nariz.

Quando nem assim os sintomas desaparecem e o desconforto se mantém, pode procurar alívio através da utilização de medicamentos descongestionantes que facilitam a passagem do ar e a saída das secreções. Existem descongestionantes de administração tópica, em forma de gel, pomada, spray ou gotas, que se aplicam diretamente no nariz, tendo uma ação mais rápida, e descongestionantes de administração oral, que necessitam de mais tempo e de doses mais elevadas para serem eficazes. De administração local ou oral, são geralmente contraindicados em doentes cardíacos, hipertensos ou com glaucoma.

 

Menos, é mais

Ao recorrer a medicamentos descongestionantes de aplicação local, tenha em atenção uma regra de ouro: não deve ultrapassar a dose nem o tempo de tratamento recomendados (no máximo três dias consecutivos). O uso excessivo e prolongado destes medicamentos pode agravar a congestão nasal, ao invés de a aliviar.

O melhor é procurar aconselhamento farmacêutico de forma a combater eficazmente a congestão nasal, sem comprometer a sua saúde. O tratamento difere de caso para caso pelo que é essencial informar-se com um profissional de saúde habilitado.

Cuide de si, dirija-se à sua Farmácia!