Placa bacteriana e Tártaro
A placa bacteriana, também designada de “biofilmeoral”, consiste numa camada fina, aderente e incolor que cobre dentes e gengivas, constituída por bactérias e pelos produtos do seu metabolismo.

 

As bactérias que constituem a placa, na presença dos alimentos, normalmente depois de uma refeição (principalmente sacarose), produzem ácidos capazes de atacar o esmalte dentário. Se não for removida diariamente a acumulação nos dentes pode fazer com que o esmalte se quebre, e assim, originar cáries.

Inicialmente, esta película é mole e, se não for removida, vai sofrer um processo de mineralização, tornando-se dura: durante a maturação é constituída por cerca de 70% de bactérias (teor que varia consoante a zona afetada da cavidade bucal) e após o 7.º dia sem higiene calcifica-se  formando o tártaro ou cálculo dentário (constituído por 75-80% de uma matriz de sais inorgânicos com matéria orgânica e 15 – 20% de bactérias). O tártaro apresenta uma coloração amarelada ou acastanhada e para o remover é necessário um conjunto de procedimentos efetuados por um dentista.

Além de um problema estético, a placa e o tártaro, quando não são removidos podem levar a uma inflamação gengival que causa desconforto e pode vir a ter consequências mais graves.

Assim sendo não será a prevenção a melhor solução? Uma higiene oral diária e adequada remove a placa bacteriana da superfície dos dentes e a implementação deste hábito, pelo menos duas vezes por dia, desde bebé é meio caminho andado para uma boca saudável.