Próstata – Um toque de prevenção
O cancro da próstata é um dos tumores malignos mais frequentes em homens com uma idade mais avançada.

 

É uma doença que evolui de forma lenta e, se detetada em fase inicial, apresenta um bom prognóstico. Para tal, é fundamental que o homem vença os receios associados ao rastreio.

Receios que se relacionam, muitas das vezes, com um dos exames disponíveis para avaliar o estado de saúde da próstata – o toque retal. Este é necessário porque a próstata não é observável diretamente, e consiste, como o nome indica, no toque da próstata através do reto. Desta forma o médico consegue palpar e avaliar o seu, tamanho e forma. Se detetar anomalias, pedirá exames complementares, nomeadamente uma biopsia, que consiste na remoção de uma porção minúscula de tecido para análise laboratorial.

A prevenção passa também por uma simples análise ao sangue para medir os níveis de PSA – o antigénio específico da próstata. Este antigénio é produzido normalmente para ajudar a tornar o sémen mais líquido. Apenas uma pequena quantidade circula na corrente sanguínea, pelo que níveis mais elevados do que o normal podem indiciar anomalias.

Estes dois exames – o toque rectal e a determinação dos níveis de PSA – são fundamentais quando o homem chega à chamada “idade da próstata” pois permitem detetar a doença precocemente e garantir que o tratamento é efetuado atempadamente, evitando o desenvolvimento de situações mais graves.