Protetor mineral vs. Protetor químico: quais as diferenças?
Quando escolhe um protetor solar deve ter em conta vários aspetos, estando a sua farmácia sempre disponível para o ajudar na escolha mais adequada ao seu caso. Por exemplo, além do Fator de Proteção Solar - FPS (SPF, na sigla inglesa), é essencial ter em conta o tipo e as características da sua pele. Outro aspeto que pode gerar confusão é saber se o protetor é de caracter físico/mineral ou químico. Fique a conhecer as diferenças…

 

São vários os protetores solares indicados para o proteger contra as radiações solares e, desta forma, das queimaduras solares (escaldões) e do envelhecimento precoce. Mas, é certo que existem diferenças entre eles, fundamentalmente no que diz respeito à sua composição e ao modo como atuam.

Protetores solares físicos / minerais

  • Formam uma “barreira física” (película espessa na pele), o que permite proteger a pele das radiações solares ao refletir os raios, sem os absorver;
  • Dada esta barreira física, apresentam, por vezes, uma aplicação cosmeticamente menos agradável;
  • Estão especialmente indicados para crianças e pessoas com pele intolerante e sensível;
  • Exemplo de substâncias presentes na composição deste protetor responsáveis por esta barreira: óxido de zinco; dióxido de titânio; entre outros.

Protetores solares químicos

  • Ao contrário dos primeiros, estes protetores exercem a sua proteção através da absorção da radiação solar;
  • Podem causar reações alérgicas em pessoas com a pele mais sensível;
  • Exemplo de substâncias presentes na composição deste protetor responsáveis pela absorção da radiação: diversas substâncias orgânicas como benzofenonas; octocrileno; entre outros.

Existem ainda protetores solares, que são uma junção dos dois tipos anteriores (tanto absorvem como refletem os raios UV).

Na dúvida, deve sempre aconselhar-se com o seu farmacêutico, pois este irá indicar-lhe qual a proteção ideal para o seu tipo de pele.