Uma flora desequilibrada

 

O desequilíbrio da flora vaginal, causado por fatores internos ou externos, está na origem das infeções vaginais, sendo as mais comuns:

Vaginose bacteriana – Corrimento acinzentado ou amarelado, com cheiro desagradável a “peixe”, ardor e vermelhidão local são os sintomas mais frequentes e ligeiros. Trata-se com antibióticos prescritos pelo médico.

Candidíase vulvovaginal – Corrimento semelhante a leite coalhado, ardor e comichão na vagina e dor durante o ato sexual são as manifestações mais frequentes. Gravidez, diabetes, sistema imunitário deprimido, menstruação, anticoncecionais com teor elevado de estrogénios e alguns antibióticos facilitam o seu aparecimento. Pode contagiar o parceiro pelo que ambos se devem tratar recorrendo a antifúngicos, na maioria tópicos. Aconselham-se métodos contracetivos adicionais, caso use o preservativo ou o diafragma, uma vez que os mesmos podem ser danificados por estes tratamentos, perdendo a sua eficácia.

Tricomoníase – Corrimento amarelo-esverdeado espumoso com odor desagradável e comichão. É também tratada com antibióticos.

 

A origem da vaginose e da candidíase não é, habitualmente, o contacto sexual. No entanto, a candidíase é contagiosa para o parceiro sexual, daí que haja necessidade de tratamento não só para a mulher infetada, como também para o seu parceiro, caso este apresente sintomatologia. A tricomoníase é transmitida unicamente por via sexual, sendo por isso necessário tratar o homem e a mulher, e usar preservativo nas relações sexuais enquanto houver infeção.

 

Leia também “Infeções vaginais previnem-se :3 gestosde higiene

Consulte o seu médico ou farmacêutico e saiba como se proteger, evitando o aparecimento destas infeções.