Gato: Desparasitar é preciso!
Os parasitas, quer internos, quer externos, constituem uma dupla ameaça para a saúde do animal e do homem. Embora alguns sejam inofensivos, outros são responsáveis pela transmissão de doenças. Daí a importância de prevenir as infestações, desparasitando.

Os parasitas, quer internos, quer externos, constituem uma dupla ameaça para a saúde do animal e do homem. Embora alguns sejam inofensivos, outros são responsáveis pela transmissão de doenças. Daí a importância de prevenir as infestações, desparasitando.

Não existe um programa único de desparasitação, cabendo ao veterinário definir um esquema em função do animal e dos seus hábitos de vida (se permanece confinado ao ambiente doméstico ou se, pelo contrário, está habituado a sair de casa).

Normalmente, a partir das duas semanas de vida já é possível desparasitar os gatinhos, havendo a necessidade de repetição duas a três semanas após o primeiro tratamento, dado que o produto só costuma atuar em animais adultos. Esta desparasitação em gatinhos bebés, é no entanto, essencial, umas vez que os problemas de saúde mais graves, são nesta idade. Depois, é conveniente desparasitar uma vez por mês até aos seis meses. A partir daí, a cada seis meses.

No caso de desparasitantes internos, existem nas farmácias, em pasta ou em comprimidos. Estes devem ser dados sempre na dose recomendada pelo médico veterinário e nunca devem ser dados desparasitantes indicados para outra espécie animal.

É importante não descurar o esquema definido pelo veterinário, protegendo o animal e todos os que com ele partilham o ambiente, para que a presença de um gato em casa seja sinal de companhia e divertimento e não fonte de problemas.