Alimentação infantil: apetitosamente saudável, equilibrada e variada…
… é assim que se pode definir uma alimentação adequada às crianças, com alimentos de todos os tipos para um aporte nutricional de proteínas, gorduras, vitaminas, minerais e hidratos de carbono… nas proporções certas.

 

Comer bem!

É essencial não esquecer que a fruta e os vegetais são presença obrigatória – a OMS recomenda a ingestão de cerca de 400g por dia, o equivalente a cinco doses diárias – e que beber água ao longo do dia é essencial para o bom funcionamento do organismo.

Saudável e nutritiva, a sopa de legumes, no início da refeição, ajuda miúdos e graúdos a sentirem-se mais saciados, evitando o consumo excessivo de outros alimentos, por exemplo.

Preferencialmente, deve optar por peixe cozido, a vapor, grelhado ou assado no forno, rejeitando a pele queimada. E como os olhos também comem, pode experimentar decorar o prato dos seus filhos: ponha olhos, nariz e boca no hambúrguer (que pode ser de frango ou de salmão) ou numa posta ou filete de peixe. Com couve-flor ou brócolos, pode fazer cabelos. Eles ajudam se lhes permitir.

O arroz e a inúmera diversidade de massas permitem um sem-número de arranjos.

Limite a carne vermelha e restrinja o consumo de sumos de pacote e refrigerantes. Fruta crua, cozida ou assada completa da melhor maneira a refeição.

 

Mexer-se mais!

A adoção de hábitos saudáveis não passa apenas pela alimentação. A atividade física é igualmente importante. Andar a pé, de bicicleta, de skate, jogar à bola ou saltar à corda, todos os dias, são bons exemplos. Outra hipótese é inscrevê-los numa modalidade que gostem: natação, ginástica, futebol, hóquei, entre muitas outras.

O importante é garantir que a prática de atividade física é um hábito dos mais pequenos, evitando complicações de saúde futuras.