As mudanças e os riscos na adolescência
É fundamental saber dizer Sim... e Não. A puberdade revoluciona o corpo e desperta-o para a sexualidade, uma verdadeira tempestade de sensações e sentimentos que comporta alguns riscos.

A adolescência marca a passagem da infância para a idade adulta.  Nesta etapa confusa, os adolescentes procuram a sua identidade, mas este pode ser um caminho com determinados perigos.

A puberdade representa uma revolução total em vários sentidos:

– no corpo, que ganha a forma do género;

– na mente, que desenvolve novos interesses e desperta emoções;

– na socialização, onde se procura combinar a independência com a perda da inocência.

Em termos biológicos, a criança cede lugar a um homem ou a uma mulher, envolvendo sentimentos contraditórios. Se muitos se sentem bem com o “novo” corpo, outros podem não se identificar com o que o espelho mostra.

Estas mudanças ocorrem por causa das hormonas. São elas que determinam um aumento de peso e de altura nas raparigas, ampliando e arredondando as ancas, aumentando os seios, fazendo surgir os pelos púbicos, ativando as glândulas sudoríparas e desencadeando a primeira menstruação – a menarca, que marca o início da puberdade e, com ela, a capacidade reprodutiva.

Os rapazes também ganham peso e altura, os ombros e o peito alargam-se, os músculos desenvolvem-se, o pénis e os testículos crescem, começando a produzir esperma, e surgem os pelos púbicos. Com o tempo, a voz ganha um tom mais graves e as glândulas sudoríparas entram em ação.
A adolescência é um tempo de descobertas e expectativas, de dúvidas e angústias.

Desafiar e arriscar são verbos ajustados aos adolescentes, naturalmente rebeldes, com ou sem causa. Sede de quebrar laços com a infância e percorrer o mundo dos adultos. Cedo se fumam os primeiros cigarros, mesmo que o sabor não agrade.. Tal como as bebidas alcoólicas, que se experimentam também por curiosidade nas desejadas saídas noturnas – a grande prova de independência nestas idades.Mas o risco dos excessos existe sempre.

Outra curiosidade é despertada pelo mito das experiências de consumo de substâncias ilícitas. A droga está demasiado acessível e quem a experimenta costuma fazê-lo cada vez mais precocemente.

Finalmente, a adolescência é a etapa da vida em que o ser humano ganha a dimensão como um ser sexual, com sensações vivas de desejo e prazer. As emoções podem ser muito intensas e únicas… surgem as primeiras paixões e as declarações de amor eterno. É o início de um percurso recheado de pressões e influências, gerando dúvidas e receios.

A primeira experiência sexual afigura-se como uma aventura que pode ser fantástica mas que deve ser refletida – não uma imposição de outros. É fundamental saber dizer Sim. E Não.

A sexualidade é natural, mas implica responsabilidade. É fonte de prazer, mas também uma porta aberta para riscos: como o de uma experiência com a pessoa errada, uma doença sexualmente transmissível ou o de uma gravidez não desejada. O amor não é suficiente, porque há que conhecer o próprio corpo, ser responsável por ele e nele, esclarecer dúvidas e evitar os riscos. Ser adolescente é conquistar a autonomia, mas não a todo o preço. É fazer escolhas informadas, saudáveis, livres e responsáveis. Assim se faz um adulto.