Hipogalactia, sabe o que é?
Muitas recém-mamãs têm receio de não produzir quantidade suficiente de leite.

 

Este receio está, muitas vezes, relacionado com dúvidas e inseguranças sobre o processo de produção de leite materno.

A verdade é que, apenas uma pequena quantidade de mulheres tem hipogalactia, isto é, uma reduzida secreção de leite, por vezes, insuficiente para satisfazer as necessidades nutricionais do bebé.

São várias as causas da baixa produção de leite, nomeadamente:

  • Amamentação ineficaz devido a, por exemplo, má pega do bebé ou sucção ineficaz (principalmente em prematuros);
  • Tensão emocional;
  • Alimentação da mãe insuficiente ou inadequada;
  • Alterações da mama ou dos mamilos (hipoplasia mamária- pouco tecido mamário, cirurgias ou traumatismos da mama);
  • Algumas doenças que a mãe pode ter (síndrome do ovário policístico, diabetes, distúrbios da tiróide ou outros distúrbios hormonais).

 

O que fazer?

  • Primeiramente deve consultar o seu médico. As causas são, por vezes, difíceis de identificar, sendo que deverá ser o médico a avaliar se tem, efetivamente, baixa produção de leite.
  • Tendo em conta que, cada vez que o leite é extraído, o organismo produz mais, pode tentar adotar algumas medidas para promover a amamentação ou a extração de leite:
  • Reajustar a posição de amamentação ou a forma como o bebé agarra a mama, para poder dar de mamar de forma mais eficaz;
  • Ter mais contacto “pele com pele” com o seu bebé antes e durante as sessões de amamentação. Isto pode ajudar a estimular a hormona oxitocina que faz fluir o leite;
  • Usar técnicas de relaxamento, como ouvir música repousante, para reduzir a ansiedade que possa estar a afetar a sua produção;
  • Extrair leite manualmente ou com ajuda de uma bomba extratora de leite.

Existem ainda, disponíveis na farmácia, suplementos alimentares que contribuem para a saúde dos seios da mulher e para a manutenção da função normal da glândula mamária, informe-se com o seu farmacêutico.

Ter hipogalactia pode dificultar ou impedir uma amamentação eficaz, mas não tem de significar o seu abandono! É por isso crucial detetar esta situação a tempo para poder atuar o mais cedo possível.

Com o apoio adequado, a maioria das mães nesta situação, consegue amamentar o bebé parcialmente ou até completamente com o seu leite.