Dermatite Atópica (Eczema) na criança: sinais e sintomas
Problema: A dermatite atópica é uma doença inflamatória crónica da pele, com lesões cutâneas típicas, que surge, normalmente durante a infância. As localizações mais características são: pregas dos cotovelos e dos joelhos e nos bebés, as bochechas e junto às orelhas.

 

Afeta, geralmente crianças com história familiar de asma, rinite alérgica ou dermite atópica em cerca de 70% dos casos. Inicia-se geralmente antes dos 12 meses (em 60% dos casos) e antes dos 5 anos (em 90% dos casos). Tipicamente, piora durante os meses de inverno.
Sinais e sintomas: Não se sabe, com exatidão, o que causa esta doença mas é caracterizada por pele muito seca, muita comichão e o aparecimento de placas de eczema – irritações localizadas que consistem inicialmente em erupções avermelhadas com líquido e que podem evoluir para lesões descamativas..

Objetivos principais: Esta doença não tem cura, pelo que, o tratamento passa por tentar diminuir a secura, acalmar o prurido e controlar a inflamação. A tendência das crianças perante os sintomas é coçar as feridas, mas quanto mais se coça, mais inflamada fica a pele e mais vulnerável a infeções.

Assim o tratamento mais efetivo é tentar evitar fatores que sensibilizem a pele e adotar algumas medidas que ajudem no controlo, como, por exemplo:

  • Cortar regularmente as unhas da criança e limá-las, para evitar que lesionem a pele caso cocem as áreas afetadas;
  • Evitar temperaturas extremas, nomeadamente banhos quentes e prolongados;
  • A criança deve estar em habitações bem ventiladas e se necessário recorrer ao uso de um desumidificador;
  • Evitar excesso de suor, limitando as atividades físicas que o provoquem em demasia ou tomando um duche após a prática;
  • Alimentação: manter o aleitamento materno idealmente até depois dos 6 meses ou usar um leite hipoalergénico ou leite sem proteínas do leite da vaca;
  • Evitar alimentos que possam agravar as crises: frutos exóticos, frutos secos, chocolates, citrinos, morangos, kiwis e marisco. Beber muita água;
  • O banho diário deve ser com água morna Os duches são preferíveis, mas se se optar por banho de imersão, não deve exceder os 15 min e deve usar-se óleos hidratantes e com pH 5.5 ou fisiológico;
  • Não usar luvas nem esponja durante o banho;
  • Usar um creme lavante sem sabão ou produtos neutros. Aplicar apenas nas zonas sujas (pregas do pescoço, orelhas, axilas, zona genital e pés);
  • Secagem: usar uma toalha macia, sem esfregar;
  • Hidratação: usar leite ou creme hidratante ou emoliente duas vezes ao dia;
  • Lavar a roupa com detergentes hipoalergénicos sem fosfatos;
  • Calçado de couro ou pano, arejados.

Peça conselho ao seu farmacêutico!