Dores de garganta – Quando engolir é difícil
As dores de garganta são comuns, mas nem por isso incomodam menos: saber como se manifestam, quais as causas e como se tratam, é essencial.

 

Secura e dor, dificuldade em engolir sólidos, líquidos e até a saliva – assim é descrito o desconforto associado a uma dor de garganta. Entre as suas causas destacam-se:

  • Infeções virais – como a constipação e gripe, tão frequentes no inverno e que se resolvem ao fim de 3 a 7 dias, ou a mononucleose infeciosa. A mononucleose, frequente nas crianças e adolescentes, é transmitida pela saliva, sendo por isso conhecida como a doença do beijo. A recuperação é mais prolongada do que nas restantes infeções virais e a dor de garganta, além de intensa, acompanha-se de mal-estar geral com cansaço, dor de cabeça, febre e gânglios inflamados;
  • Infeções bacterianas – faringite, amigdalite e laringite. Frequentemente o agente é são bactérias do género estreptococos que requer diagnóstico médico pelas consequências graves que pode ter se não for tratada adequadamente;
  • Alergias – como a rinite alérgica ou devido a inalação de agentes irritantes;
  • Ar seco – muito frequente no inverno, devido à circulação de ar condicionado e ao aquecimento central;
  • Tabagismo – as substâncias presentes no fumo inalado secam a garganta;
  • Outras causas menos frequentes são: o refluxo gastroesofágico, a presença de um corpo estranho (uma espinha ou um osso) e tumores (na garganta, língua e laringe).

Não desvalorize! Uma dor de garganta sem complicação resolve-se, por si só, ao fim de alguns dias com medidas de autocuidado. No entanto, quando não cuidada adequadamente, pode trazer complicações. Para saber como atuar em caso de dor de garganta, consulte o conteúdo “Como tratar a dor de garganta”.