Leites que ajudam a crescer
O leite materno é o alimento por excelência nos primeiros meses de vida: fornece todos os nutrientes de que o bebé necessita, ajudando a crescer e a desenvolver as defesas contra infeções e alergias.

Além disso a amamentação materna:

– melhora o desenvolvimento mental do bebé;

– promove o alinhamento dos dentes e a formação correta da boca;

– permite uma fácil digestão por parte do bebé;

– estimula a criação de um vínculo afetivo entre a mãe e o recém-nascido.

É por isso que a amamentação materna exclusiva deve ser feita até aos 6 meses de idade. Mas, por vezes, o médico pediatra, por questões de saúde incontornáveis da mãe ou do bebé pode sugerir outras opções.

Quando isso acontece, a alternativa são os leites e as fórmulas infantis. Tal como o leite materno, ajudam a crescer saudavelmente, replicando, tanto quanto possível, os benefícios e oferecendo total garantia de segurança e qualidade.

Para responder às necessidades específicas de cada fase do crescimento do bebé, estão disponíveis leites e fórmulas para lactentes (os chamados Leites 1), adequados até aos 4 a 6 meses, quando o leite é a única fonte a alimentar do bebé.

A partir dos 6 e até aos 12-24 meses, de acordo com a recomendação do médico pediatra, quando o bebé prova os primeiros alimentos sólidos, deve mudar-se para os leites de transição (Leites 2). Neste leque de leites existem fórmulas especiais, para situações específicas:

  • Cólicas intensas: existem leites com baixo teor de lactose, o que diminui o risco de flatulência e cólicas;
  • Intestinos presos: estão disponíveis os leites anti obstipantes que facilitam o esvaziamento do intestino e amolecem as fezes;
  • Desconforto digestivo: leites que facilitam a digestão e a absorção dos alimentos; bem como leites que, pelo contrário, prolongam a digestão, aumentando a sensação de saciedade, mas não a quantidade de proteínas;
  • Antirregurgitação: leites, normalmente com espessantes naturais, desenvolvidos para reduzir o risco e a severidade da regurgitação em lactentes;
  • Hipoalergénicos: leites cuja composição reduz o risco de alergia.

Surgem então, posteriormente os leites de crescimento (ou Leites 3), adequados à fase seguinte, que dura até aos 36 meses.

Na farmácia é possível encontrar informação sobre as várias alternativas disponíveis com vista a aumentar o conforto do bebé. No entanto, antes de optar por um leite ou fórmula infantil procure sempre, aconselhamento médico.

Também na farmácia, é possível encontrar 
leites e fórmulas para fins medicinais: à base de proteínas de soja (para casos de intolerância ou alergia às proteínas do leite de vaca), sem lactose ou antidiarreicos, anti regurgitação (para bebés que perdem nutrientes devido à regurgitação), para prematuros e recém-nascidos de baixo peso. E ainda leites adequados a bebés que precisam de dietas muito específicas, quando há má absorção grave ou quando é necessário aumentar a absorção, mas com um mínimo de digestão.

São alternativas seguras e de qualidade, em complemento ou substituição do leite materno. Constituem uma importante ajuda para o bebé crescer saudável, fornecendo-lhe todos os nutrientes de que precisa nos primeiros meses de vida.