Lidar com as emoções na adolescência
O stress pode ter consequências muito sérias sobre o comportamento e a saúde.

É importante intervir quanto antes, pois esta é uma altura de mudanças e é necessário estar atento. Os primeiros passos podem ser dados pelos próprios jovens:

  • Perceber as causas da ansiedade e como as controlar (sempre que possível);
  • Partilhar os problemas e sentimentos com alguém em quem se confie;
  • Relaxar com música, passear ou fazer exercício físico, pensar em momentos agradáveis, respirar fundo ou tomar um banho de imersão;
  • Identificar boas razões para gostar de si próprio e traçar metas realistas.

Os pais também podem e devem ajudar os filhos:

  • Estimular o diálogo, para conhecer as suas expectativas e problemas;
  • Contribuir para elevar a autoestima com estímulos e encorajamentos positivo;
  • Dar oportunidades para que tomem decisões e assumam algum controlo pela sua própria vida;
  • Incluir os jovens na vida familiar e mantê-los a par das mudanças;
  • Estimular o exercício físico e incentivar a adoção de uma alimentação equilibrada;
  • Estar atento a alterações nos hábitos e comportamentos, para intervir o mais cedo possível.

Nem sempre o carinho e a atenção dos pais são suficientes para aliviar ou fazer desaparecer o stress e a ansiedade de um filho. Quando começa a faltar à escola ou os resultados académicos pioram; quando a dificuldade em dormir prejudica a concentração e o desempenho; quando deixa de se alimentar ao ponto de perder demasiado peso ou se, pelo contrário, come em excesso; quando mente com frequência, se isola ou é demasiado agressivo – então há que procurar ajuda especializada.