Piolhos: comichão, muita comichão
É quase sempre a comichão que denuncia a presença de piolhos. Por isso, se a criança se coçar muito, vigie os cabelos, sobretudo se insistir na nuca e atrás das orelhas, pois são essas as zonas preferidas destes parasitas.

 

Quando a comichão é muita, há o risco de se desenvolverem dermatoses, pequenas lesões no couro cabeludo que podem agravar-se e dar origem a infecções.

Contudo, a simples existência de comichão não basta para confirmar uma infestação. É preciso a visualização directa de piolhos vivos e lêndeas.

 

Como detetar?

A deteção de presença de piolhos consiste  na visualização, o que se  faz-se com a ajuda de uma luz forte, de um pente próprio e de alguma paciência:

  • Lava-se o cabelo e aplica-se amaciador em abundância, para facilitar o desprendimento do piolho ou da lêndea;
  • Desembaraça-se o cabelo ainda húmido, dividindo-o em secções;
  • Escova-se cada madeixa, da raiz às pontas, com pente próprio, de dentes muito finos, que pode ser adquirido na farmácia;
  • A cada passagem, limpa-se o pente a um lenço de papel branco;
  • Depois analisam-se as partículas recolhidas: os piolhos soltam-se e vêem-se facilmente, as lêndeas são mais resistentes e tendem a fixar-se aos cabelos;
  • Por fim, deita-se o lenço de papel no lixo dentro de um saco fechado.

Peça ajuda ao seu farmacêutico!