Saber planear
A sexualidade faz parte da vida, devendo ser assumida de uma forma responsável.

 

Viver a sexualidade de uma forma saudável, permite, por um lado, decidir qual o melhor momento para uma gravidez, e, por outro lado, garantir a proteção contra infeções sexualmente transmissíveis.

Qualquer relação sexual entre um homem e uma mulher em idade fértil contém, em si mesma, a possibilidade de uma gravidez. Sem a utilização de métodos contracetivos adequados, existe o risco de ocorrer uma gravidez indesejada. Assim é essencial saber planear, desde do início da vida sexual, e assumir a contraceção a dois: porque a sexualidade também se faz a dois!

Assim, os objetivos do planeamento familiar devem passar por:

  • Promover uma vivência sexual gratificante e segura;
  • Preparar uma maternidade e paternidade saudáveis;
  • Prevenir uma gravidez indesejada;
  • Reduzir os índices de mortalidade e morbilidade materna, perinatal e infantil;
  • Reduzir o número de Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST).

Atualmente existem diversos métodos contracetivos, sendo que todos apresentam vantagens e desvantagens. De uma forma geral, os métodos contracetivos existentes podem ser divididos em quatro grupos principais:

  1. Naturais – consistem na abstinência periódica de acordo com o período fértil da mulher. Implicam que a mulher aprenda a identificar o período fértil, conhecendo as modificações do próprio corpo ao longo do ciclo menstrual. Podem ser pouco eficazes e, por isso, são pouco recomendados. São exemplos, o método:
  • Do calendário;
  • Do muco cervical;
  • Da temperatura basal;
  1. Hormonais – contêm doses baixas de hormonas que previnem uma gravidez indesejada ao, por exemplo, evitarem a libertação de óvulos pelos ovários, impedindo assim a fecundação.

 

  1. Não hormonais – impedem o contacto dos espermatozóides com o óvulo (métodos barreira), diminuem a mobilidade dos espermatozóides ou impedem a nidação (implantação do óvulo) no útero.

 

  1. Cirúrgicos, muito seguros e uma opção para quem está seguro de não querer ter mais filhos. Existem dois tipos de procedimentos cirúrgicos:
  • Laqueação tubar, realizada em mulheres, que consiste em “bloquear” as trompas (podem ser cortadas ou pode ser colocado um anel que as bloqueia) de forma a impedir a fecundação do óvulo;
  • Vasectomia, realizada nos homens, na qual se interrompe o canal que leva os espermatozoides dos testículos para o pénis;

A escolha do método contracetivo a adotar deve ser feita com a ajuda do médico de forma a ser a mais adequada à mulher ou casal. Assim, algumas questões devem ser colocadas na altura de escolher um método contracetivo:

  • É eficaz?
  • Está adequado ao meu estilo de vida?
  • É reversível?
  • É acessível?
  • Existem riscos para a saúde?

Nenhum método contracetivo oferece proteção total contra uma gravidez, sendo a eficácia vulnerável às falhas do próprio método ou ao seu uso incorreto. Esclareça sempre as suas dúvidas com o seu médico ou farmacêutico.