PNV – Tétano
Não é raro associar-se tétano à palavra “ferrugem”. Mas sabia que, nem sempre, esta associação é correta?

 

O tétano é uma infeção causada por uma toxina (substância química) produzida pela bactéria Clostridium tetani. Esta bactéria pode encontrar-se em vários locais, incluindo no solo, em partículas de pó, e não apenas em materiais com ferrugem. Por norma, entra no organismo através de feridas, que podem ser causadas por:

  • Um objeto cortante, como uma unha ou um prego (com ou sem ferrugem);
  • Uma queimadura;
  • Uma picada de inseto;
  • Uma fratura exposta (quando um osso, ao partir, fica em contacto direto com o exterior);
  • Uma cirurgia.

Em Portugal, esta é uma doença rara, com menos de 10 casos por ano desde 2003, que pode ter como manifestações:

  • Trismo: incapacidade de abrir a boca devido à rigidez do maxilar;
  • Rigidez do pescoço;
  • Rigidez dos músculos abdominais;
  • Dificuldade em engolir;
  • Espasmos, desencadeados por estímulos pequenos, como a luz ou o toque.

No que diz respeito a esta doença, a chave é prevenir. Isto é possível através da vacina contra o tétano, incluída no Programa Nacional de Vacinação (PNV). O PNV aplica-se, gratuitamente, a todas as pessoas presentes em Portugal e abrange vacinas contra várias doenças.

No que diz respeito ao tétano, de acordo com o PNV, a sua prevenção deverá consistir na primovacinação (primeira série de vacinas, neste caso, 3, administradas, idealmente, aos 2, 4 e 6 meses de idade) e em reforços ao longo de toda a vida, nomeadamente:

  • Aos 18 meses;
  • Aos 5 anos;
  • Aos 10 anos;
  • Dos 25 até aos 65 anos: de 20 em 20 anos;
  • A partir dos 65 anos: de 10 em 10 anos;
  • Em cada gravidez.

O tétano é diferente de várias doenças passíveis de prevenir através da vacinação, porque não se transmite de pessoa para pessoa. Ainda assim, a vacinação continua a ser essencial no combate a esta doença, porque é a sua forma de prevenção mais eficaz – cerca de 99% das pessoas desenvolve mecanismos de proteção contra a doença após a primovacinação.

Para mais informações sobre esta e outras vacinas, consulte um profissional de saúde, como o seu médico ou farmacêutico.