As Farmácias protegem doentes em risco
Ser portador de uma doença como VIH, cancro ou esclerose múltipla é um enorme desafio, ao que acrescia um problema: a obtenção da medicação.

 

A medicação para estas doenças só podia ser recolhida no hospital. Mas isso era antes. Agora, como resultado de esforços concertados entre associações de doentes, farmácias, hospitais e distribuidores farmacêuticos, nasceu uma nova luz na vida destes doentes: o número 1400 (chamada gratuita). Ao ligar para este número, a qualquer hora, o utente indica qual a sua farmácia, comunica os medicamentos que está a tomar e agenda a entrega.

Como resultado, estes doentes já podem obter a medicação, tão necessária ao seu bem-estar, na sua residência, assegurado pela sua farmácia. Esta medida evita deslocações desnecessárias e possíveis interrupções no tratamento, ao mesmo tempo que diminui o risco de infeção nestes doentes que estão mais frágeis.

Este serviço é gratuito durante este período de pandemia, sendo que as farmácias e os distribuidores farmacêuticos suportam os custos da operação logística, que é comparticipada pelo Fundo de Emergência Abem, da Associação Dignitude.

A confidencialidade, as boas práticas de transporte de medicamentos e o aconselhamento farmacêuticos são garantidas em todo o circuito.