Dar a volta ao stress na adolescência
O stress é algo inevitável. Constitui uma resposta natural do organismo a situações sentidas como ameaçadoras.

 

O que acontece é uma ativação do sistema nervoso, que atua diretamente sobre órgãos como o coração (com aumento do ritmo e da força cardíaca) e a glândula que produz a adrenalina. Esta resposta aumenta a nossa concentração, diminui o tempo de reação e reforça a agilidade. Este é o lado positivo do stress – uma reação instintiva, quase sempre relacionada com a sobrevivência.

Qualquer pessoa pode sentir stress. Mas, atualmente, os adolescentes e jovens são muito vulneráveis. Existem diversas situações que podem originar stress nesta idade:

  • Transformações físicas, normais, que resultam da adolescência;

  • Imagem negativa de si próprios;

  • Dificuldade em integrar-se no grupo de amigos;

  • Mudança de escola;

  • Sobrecarga de atividades para além da escola;

  • Expectativas dos pais quanto aos resultados escolares;

  • Entrada no ensino superior;

  • Problemas financeiros da família;

  • Separação ou divórcio dos pais;

  • Doença ou morte na família ou amigos.

Algumas destas situações são próprias do crescimento, mas nem sempre fáceis de gerir. Numa altura em que se encontra mais fragilizado, o adolescente pode desenvolver ansiedade. Quando esta persiste para lá duma causa concreta e limitada no tempo, o adolescente pode apresentar sinais:

Físicos – Dores de cabeça, no peito, no estômago ou musculares; dificuldade em respirar; aumento da transpiração, sobretudo nas mãos; insónias ou pesadelos; alterações no apetite e fadiga.

Emocionais e comportamentais – Dificuldade em relaxar; medos recorrentes; irritabilidade; choro; agressividade; recusa em participar nas atividades familiares, escolares ou sociais.

É importante não só, estar atento a estes sinais, mas saber lidar com eles quando surgem. O stress pode ser prejudicial para a saúde e quanto mais cedo for feita uma intervenção, melhores os resultados.

Ler também: Lidar com as emoções na adolescência