Perigo à espreita: segurança na água
Sabia que o afogamento é a segunda causa de morte acidental nas crianças? É, por isso, tão importante que adote medidas preventivas e sensibilize as crianças, desde pequeninos, para o perigo da água.

Um afogamento pode ocorrer em locais com água muito ou pouco profunda, sendo que os principais locais de risco são…

  • Praias
  • Piscinas
  • Tanques e poços
  • Rios, ribeiras e lagoas

 

Saber nadar?

Ensinar o seu filho a nadar é uma vantagem, mas não é suficiente, uma vez que, caso esteja cansado ou apenas distraído, pode cair à água e sentir dificuldades para nadar até à superfície.

Por isso, para prevenir um acidente, é fundamental seguir algumas medidas de segurança:

 

  • Assegure o uso de equipamentos auxiliares de flutuação

Não substituem a vigilância de um adulto, mas o uso de braçadeiras e coletes salva-vidas, bem colocados e adequados ao tamanho e peso das crianças, é essencial.

  • As braçadeiras devem ser utilizadas em águas transparentes, calmas e pouco profundas e/ou quando a criança está a brincar perto de uma piscina
  • Os coletes salva-vidas devem ser utilizados em águas agitadas, turvas ou profundas e na prática de desportos aquáticos ou passeios de barco

…e as boias e colchões insufláveis? As boias e colchões são brinquedos que podem tornar-se perigosos porque podem, de forma inesperada, virar ou ser arrastados pelo vento e ondulação. Por isso, não devem ser usados como (ou confundidos com) equipamentos de proteção.

 

  • Escolha praias ou piscinas vigiadas e respeite a sinalização;
  • Mantenha uma vigilância ativa e permanente sempre que as crianças estão a brincar dentro de água;
  • Na piscina, verifique as marcas de profundidade e evite zonas em que não se conhece a profundidade da água ou se existem rochas no fundo;
  • Deve alertar o seu filho para evitar brincadeiras perigosas (como por exemplo, empurrões e brincadeiras que envolvam submersão, ao empurrar a cabeça ou ombros para dentro de água (“amonas”).
  • Em caso de afogamento, ligue 112.

 

Todo o cuidado é pouco…

Durante o banho, não deixe bebés e crianças pequenas sozinhas na banheira. E, não se esqueça, logo após a sua utilização, esvazie baldes, alguidares e banheiras – um palmo de água é suficiente para que ocorra um afogamento