O que é a hiperidrose?
A hiperidrose é uma condição médica caracterizada por uma transpiração excessiva.

Apesar da transpiração ser vital para regular a temperatura do nosso organismo, permitindo que o corpo arrefeça, há pessoas que suam mais do que o necessário.

A transpiração em excesso ocorre devido a um estímulo exagerado das glândulas sudoríparas, responsáveis pela produção de suor, que não é controlado pela nossa vontade, mas pelo sistema nervoso autónomo.

É importante ter em atenção que existem 2 tipos de hiperidrose distintos:

  • Hiperidrose primária focal: os primeiros sintomas aparecem, normalmente, na infância ou na adolescência, e ocorrem, principalmente, nas mãos; pés; axilas; rosto e cabeça. Habitualmente, quem tem esta condição não transpira enquanto dorme, mas começa a suar assim que acorda. Este suor excessivo ocorre pelo menos 1 vez por semana e pode estar relacionado com fatores genéticos, não estando associado a outras doenças ou a medicação.
  • Hiperidrose secundária generalizada: a transpiração excessiva deve-se a uma doença preexistente (por exemplo diabetes; obesidade; gota) ou é um efeito secundário de alguns medicamentos. Os sintomas aparecem na idade adulta e em diversas zonas do corpo, podendo ocorrer durante o sono e várias vezes por semana.

Ambos os tipos de hiperidrose causam algum embaraço e ansiedade a quem tem este problema, uma vez que se sentem desconfortáveis por transpirarem excessivamente e por não poderem controlar a situação. A boa notícia é que existem tratamentos que permitem reduzir ou mesmo eliminar este desconforto:

  • Antitranspirantes: esta é a primeira opção dos dermatologistas. É um método simples para controlar a transpiração, sendo apenas necessário aplicar diretamente nas zonas mais críticas. São, normalmente, à base de sais de alumínio e podem ser vendidos em roll-on; spray; pomada; loção; toalhitas; gel; etc.
  • Medicamentos sujeitos a receita médica: têm sido descritos resultados positivos com determinados medicamentos sujeitos a receita médica, contudo, atualmente, ainda não estão aprovados em Portugal medicamentos para tratar especificamente esta condição.
  • Tratamentos médicos: por vezes, os métodos anteriores não são suficientes. Nesses casos, os doentes recorrem a métodos como iontoforese (uso de corrente elétrica para “desligar” temporariamente as glândulas sudoríparas); injeção de toxina botulínica tipo A (bloqueia temporariamente a sudorese); ou mesmo cirurgia (interrupção da transmissão dos sinais nervosos que estimulam a sudorese em excesso).

Se acha que sofre de transpiração excessiva, dirija-se à sua farmácia. Lá, encontra profissionais capazes de lhe dar informação sobre a hiperidrose, indicando quais os melhores antitranspirantes para o seu caso e aconselhá-lo a ir ao médico para que este possa avaliar a sua situação, sempre que tal seja necessário.