Resistência aos antibióticos – Prevenir está nas suas mãos!
Graças aos antibióticos, doenças que outrora não se podiam tratar hoje têm cura. Mas o uso incorreto destes medicamentos está a aumentar a resistência das bactérias. Resultado: as infeções tornam-se mais difíceis de tratar. A boa notícia é que prevenir este problema também está nas suas mãos!

 

Os antibióticos são medicamentos eficazes quando corretamente utilizados no tratamento de infeções causadas por bactérias. E apenas por estas. Doenças provocadas por vírus, como as gripes e constipações, não se curam com a toma de antibióticos. O mesmo acontece com as doenças causadas por fungos e parasitas.

É por serem tão específicos que são medicamentos de receita médica obrigatória: ao dispensar-lhe o antibiótico apenas com receita, o seu farmacêutico está a zelar pela sua saúde e pela saúde da comunidade. O antibiótico deve apenas ser-lhe aconselhado pelo médico, quando este considerar necessário.

O uso incorreto dos antibióticos é meio caminho andado para um crescente problema de saúde pública: a resistência bacteriana.

As bactérias são organismos que mudam, com uma grande capacidade de adaptação ao meio, o que significa que, perante a exposição repetida e/ou incorreta aos antibióticos, evoluem, podendo tornar-se resistentes à ação destes medicamentos.

O uso incorreto de antibióticos – falhas de tomas, doses inadequadas, interrupção do tratamento – é um dos principais fatores responsáveis pela resistência crescente das bactérias.

Ajudar a prevenir este verdadeiro problema de saúde pública é mais simples do que parece:

  • Tome antibióticos apenas quando receitados pelo médico;

  • Não os tome por iniciativa própria ou por conselho de terceiros, nem tome sobras de tratamentos anteriores – cada caso é um caso, mesmo que a doença pareça a mesma!

  • Respeite as indicações médicas – horários de toma, doses, duração do tratamento;

  • Nunca interrompa o tratamento, mesmo que se sinta melhor – se o fizer, está a reduzir a eficácia do antibiótico e terá de voltar ao início.

Siga estas medidas e partilhe este artigo com os seus amigos, contribuindo para a prevenção deste problema de saúde pública que… depende apenas de nós!